Ganhar no Terreno (Sobre o resultado eleitoral no distrito de Évora)

O Partido Socialista venceu de forma clara as eleições legislativas de 6 de outubro. No Distrito de Évora, como aliás em toda a região alentejana, a confiança maioritária dos eleitores tem-se vindo a manifestar desde há mais de duas décadas e os resultados estão à vista no impulso de desenvolvimento de que o território beneficiou por ação de governos formados pelo PS, em articulação com as autarquias, as instituições regionais públicas ou privadas dos diversos setores, as empresas e a sociedade civil.

Mais uma vez nestas eleições, os socialistas do Distrito de Évora candidataram-se com base no programa nacional do Partido, mas também assumindo compromissos específicos para o seu mandato de representação. Esta boa prática, quando consistente, é fundamental para reforçar a confiança dos eleitores nos seus representantes. 

Os dois deputados eleitos pelo PS no Distrito de Évora têm agora a responsabilidade acrescida de se baterem também pela concretização do programa distrital, transformando mais uma vitória nas urnas numa vitória acrescida no terreno do progresso e do desenvolvimento.

Essa vitória que se conquista no dia a dia, exige uma mobilização forte de todos os que revejam nas prioridades definidas, independentemente de qual tenha sido a força política em que votaram no exercício libre do seu direito de escolha.

Recordo de forma sintética, algumas medidas específicas que os eleitores do Distrito de forma claramente maioritária sufragaram. A construção do novo Hospital Central do Alentejo associado à criação do curso de Medicina na Universidade de Évora. A aposta numa plataforma ferroviária multifuncional. A finalização do IP2 e a construção das variantes necessárias para retirar o trânsito pesado do centro das cidades. A expansão do regadio, a reforma da floresta, a revitalização do sector dos mármores, a promoção de habitação para jovens e em particular de residências universitárias, o investimento nos serviços de proximidade, a consolidação das estratégias de desenvolvimento do turismo, a implementação de uma rede de praias fluviais e centros náuticos associadas ao Alqueva, a ligação por ciclovia de todos os concelhos do Distrito e finalmente o apoio determinado à candidatura de Évora a Capital Europeia da Cultura 2027.

Foi isto que escolhemos e é isto que todos juntos temos que concretizar. Este agora já não é o programa de um Partido candidato a eleições. É o compromisso vencedor que precisa da mobilização de todos para tornar a escolha democrática a base de um futuro melhor para a  nossa terra.
Comentários
Ver artigos anteriores...