Venham Cá Ver



Quantas vezes, Pedro Passos Coelho já veio ao Alentejo desde que foi eleito? Não tenho a contabilidade registada mas foram certamente várias vezes menos do que aquelas que José Sócrates aqui veio nos últimos nove meses do seu mandato (para comparar um período temporal similar) período em que o ex - primeiro-ministro já tinha todo o desgaste da sua governação e da crise internacional.

Pedro Passos Coelho montou o seu escritório de contabilidade em S. Bento e poucas vezes desce ao País real. É mais fácil vê-lo e bem em viagens relâmpago a Angola ou Moçambique do que apanhá-lo numa celebração com o seu povo e no seu território.

É certo que se há alguma coisa ainda para inaugurar se deve à acção que vinha de trás e Passos Coelho tem poucas coisas positivas para partilhar com os portugueses em geral e com os alentejanos em particular, mas devia ter a humildade de escutar e de ver no terreno o impacto das medidas que toma. Acredito que se o fizesse seria menos insensível nalgumas decisões que nos flagelam todos os dias e nos corroem a qualidade de vida e a esperança no futuro.

Alguns consideram que a política de proximidade é propaganda. Não achei que o fosse no passado e não acho que o seja agora. Desafio por isso como alentejano e como cidadão os nossos governantes a virem mais vezes à nossa terra. Venham cá ver. Venham ouvir e sentir o que nós sentimos. Venham partilhar visões e perspectivas. Venham conhecer alegrias e desconsolos.


A humildade democrática é um dos mais importantes valores da política. Tal como a coragem aliás. Venham cá ver.






Comentários
Ver artigos anteriores...