Carro Eléctrico

A indústria automóvel move-se! Em primeiro lugar parece haver sinais duma retoma de procura na aquisição global de carros novos, com reflexos também em Portugal, o que constitui um sinal de potencial recuperação da economia, tendo em conta tudo o que esta indústria influencia.

Ao mesmo tempo há cada vez mais sinais que a crise mexeu com a própria estrutura e com as prioridades tecnológicas da indústria, hoje cada vez mais preocupada com a sustentabilidade e com a versatilidade dos seus produtos.

Portugal é líder no desenvolvimento dum conceito integrado para a mobilidade eléctrica, conhecido pela marca MOBI.E. Vamos ser o primeiro País a ter uma rede nacional de carregamento envolvendo os municípios e as principais áreas de serviço, com uma plataforma que permitirá aos utilizadores carregarem os seus veículos onde quiserem e receberem uma factura mensal única.

Resultado desta prioridade, fomos também um dos primeiros Países a receber um investimento significativo nestas novas tecnologias (Fábrica de baterias de Lítio da Renault/ Nissan) e seremos dos primeiros a ter carros eléctricos de nova geração disponíveis no mercado, associados a um forte pacote de incentivos para a sua aquisição.

É hoje aceite que os veículos individuais ou colectivos movidos a electricidade terão um importante papel no futuro da mobilidade e dos transportes. A discussão centra-se já não nesta tendência, mas na tecnologia ou na combinação tecnológica vencedora.

Dado o seu posicionamento pioneiro Portugal tem vindo também a ser escolhido para o teste de outras soluções, de que é exemplo o caso dos veículos eléctricos híbridos de nova geração. O nosso País é aliás um dos países com maior penetração de veículos híbridos tradicionais e tem equipas de investigação a desenvolver soluções inteligentes para as redes de carregamento e a antecipar soluções baseadas na utilização do hidrogénio.

Os veículos eléctricos são uma grande aposta do País porque eles permitem fazer uma combinação perfeita com a nossa crescente produção de energias renováveis, que já correspondem praticamente metade de toda a electricidade que consumimos.

Com a aposta crescente de Portugal nas energias renováveis, os nossos veículos eléctricos serão máquinas sem ruído e sem emissões de gases de efeito de estufa, nem no momento da utilização da energia, nem no momento da sua produção, movidas por uma energia nacional, limpa e criadora de riqueza nas diferentes instalações que a produzem a partir da água, do vento, do sol ou da biomassa.

Uma indústria tradicional como a automóvel não se transforma de forma rápida. Sabemos que a adopção de carros eléctricos será um processo inicialmente lento mas com grande potencial de aceleração com a curva de experiência, a moda e a queda dos preços. É por isso que ao apostar nas dinâmicas de mudança duma indústria em transformação Portugal joga forte, assume risco, mas coloca-se na primeira fila duma corrida fantástica … electrizante mesmo!
Comentários
Ver artigos anteriores...