A aposta digital

As pessoas recorrem cada vez mais às tecnologias e aos serviços digitais. A transformação tecnológica é imparávelem Portugal, na Europa e no Mundo. Deixar a tecnologia decidir o futuro nunca deu bons resultados. Melhor será que sejam os cidadãos a decidir o futuro da tecnologia e sobretudo aquilo que com ela se poderá fazer para tornar a sociedade melhor.
Os estudos de opinião realizados pelas instituições europeias mostram que aquilo que mais preocupa os europeus é a segurança, o emprego e a qualidade de vida. Estes são, sem surpresa, os principais desafios que as populações querem ver resolvidos e para os quais exigem boas soluções. 
Em grande medida, estes desafios podem ser ganhos com uma boa economia baseada nos dados e no valor que eles geram, com a transição energética, com os novos modelos de prevenção e resposta em saúde e com as redes inteligentes de mobilidade. Esta listagem não é exaustiva mas cobre os principais pilares a partir dos quais se pode gerar uma dinâmica positiva de mudança.
A Estónia, pequena República Báltica com pouco mais de um milhão de habitantes e que preside ao Conselho Europeu até ao final do corrente ano, teve a coragem de focar as prioridades da sua Presidência no uso das tecnologias para prestar melhores serviços aos cidadãos, usando para isso a experiência das suas próprias práticas.
Apostou no Governo Eletrónico e no impacto que ele pode ter para tornar mais acessíveis os serviços públicos na União Europeia, melhorando a eficácia e permitindo assim às administrações públicas fazerem mais e melhor com quadros orçamentais razoáveis, valorizando os profissionaissatisfazendo as necessidades dos utentes e criando um contexto favorável para a economia. 
Apostou na Economia Digital e nos novos modelos de produção de bens e prestação de serviços que resultam do acesso quase instantâneo à recolha, processamento e transmissão de grandes quantidades de dados.  
Apostou finalmente na Cibersegurança como estratégia para que os indivíduos, as empresas, as instituições e as comunidades possam desenvolver práticas que conjuguem a sua proteção contra práticas danosas com a preservação da privacidade e da capacidade de escolha.
lado digital, em que a Estónia fez a sua principal aposta, faz parte da nova realidade em que vivemos e o seu bom uso pode dar lugar a uma vida mais segura em sociedade, com melhor acesso aos serviços, com mais oportunidades económicas e com maior proteção do planeta. Se queremos uma sociedade mais justa e livre temos que assegurar que a plataforma digital que hoje lhe serve de base também é justa, livre e acessível a todos. 
O acesso à Internet sem Fios, com alta qualidade, gratuito e livre de restrições, nos locais públicos de toda a Europa é um daqueles projetos que nascendo no lado digital, pode dar um enorme contributo para tornar melhor a vida do dia-a-diaA iniciativa WIFI4EU de que sou relator e que deve estar no terreno ainda este ano vai tornar isso possível para muitos europeus. É mais um passo a contribuir para que um futuro melhor aconteça. 
   

Comentários
Ver artigos anteriores...