Bitola (Uma boa notícia para Portugal e para o Alentejo)

Na audição recente do Ministro da Economia na Assembleia da República onde foi chamado por diversas solicitações em que se incluiu o pedido dos deputados socialistas dos Círculos Eleitorais do Alentejo para explicitar o abandono do projecto do TGV, o Prof. Álvaro Santos Pereira não apenas confirmou que o projecto do TGV ainda está em análise como e sobretudo manifestou grande sensibilidade em relação à importância da ligação ferroviária Sines – Europa em bitola europeia, como um dos mecanismos para impulsionar o peso das exportações no PIB (cuja meta este governo passou de 40 para 50%).

Sublinho com satisfação o reconhecimento desta evidência. O TGV é importante. Podemos fazer várias análises custo / benefício e não podemos esquecer o impacto e os custos directos da travagem dum projecto já em andamento. Defenderei o TGV Lisboa – Madrid enquanto houver uma réstia de esperança na sua concretização, porque acredito que é um bom projecto para Portugal e para o Alentejo.

Mas se em ralação ao TGV percebo o contraditório e respeito-o quando feito de boa fé, já em relação à rede logística não consigo perceber que ainda subsistam dúvidas. As Zonas logísticas de Sines, Poceirão, Évora e Caia ligadas numa rede ferroviária de bitola europeia são um activo estratégico decisivo para Portugal. O Sr. Ministro da Economia já está convencido. Excelente Notícia! Esperemos que não venham agora as Finanças destruir o passo tímido mas correcto que a Economia deu. É que o “troikismo” aditivado da nova escola ultraliberal de Victor Gaspar já fez estragos e ameaça fazer mais.

Mesmo com um apagamento dito voluntário do Sr. Ministro da Economia, a realidade tem forçado o seu Ministério a vir a jogo. Curiosa e preocupante foi a bitola usada para aumentar de forma brutal os transportes públicos. Como este governo já nos habituou, o governo primeiro aplicou os aumentos e depois prometeu cuidar das excepções sociais e da redução da despesa.

Com tanto tempo de preparação na oposição e com tanta teoria implícita exigia-se do governo outra bitola de transparência na aplicação das medidas. Recordo que no domínio da energia, antevendo algum impacto da obrigação de liberalização das tarifas, o governo anterior lançou uma tarifa social que está agora testada enquanto modelo e pode ser usada para amortizar eventuais aumentos da electricidade e do gás.

Também a bitola de transparência noutros processos chave como a venda do Banco Português de Negócios ou nomeação da Administração da Caixa Geral de Depósitos foi muito baixa. Ora a transparência e a justiça relativa são fundamentais para que a sociedade portuguesa possa assumir compromissos de austeridade em nome dum futuro melhor.

Mas voltemos ao essencial. A ligação Sines – Europa em bitola europeia vai ser construída. Esta é uma boa notícia para a nossa região e uma grande oportunidade de atracção de novos investimentos. É apenas o primeiro passo, mas o primeiro passo marca muitas vezes a bitola da caminhada. Aproveitemos da melhor maneira esta oportunidade.
Comentários
Ver artigos anteriores...