Évora Consegue



 

Num tempo de grande sofrimento e laivos de penúria em muitos pontos do País, ganham ainda mais significado, as boas notícias que por vezes vão surgindo. Duas boas notícias recentes têm como referência o Distrito de Évora, pois embora se refiram a investimentos localizados na capital do Distrito, pela sua dimensão e carácter inovador serão todos os Concelhos a deles beneficiar, podendo alguns dos projetos ter um forte impacto regional e mesmo nacional. 

 

Em primeiro lugar a Embraer vai reforçar o seu investimento no magnífico Parque Aeronáutico de Évora e por outro lado o Parque de Ciência e Tecnologia do Alentejo (PCTA) conseguiu atrair nos seus primeiros sete meses de vida, outros tantos novos investimentos.  

 

Estes investimentos foram conseguidos com muito esforço e sinergia, envolvendo os múltiplos agentes económicos e sociais de forma a criar um contexto favorável e atractivo para o investimento.

 

 A Câmara Municipal de Évora tem em todo este processo créditos especiais. Sob a liderança de José Ernesto de Oliveira e mais recentemente de Manuel Melgão, a Autarquia de Évora tem sido sempre facilitadora do investimento, criando boas respostas e infra-estruturas que lhe permitiram ser escolhida para este importante surto de nova industrialização. O Engenheiro Manuel Melgão tem assim pela frente 3 mandatos de grande exigência à frente dos destinos do Concelho de Évora para que a dinâmica que também ajudou a criar se não perca e multiplique os seus frutos. É homem para isso.

 

Mas estes novos investimentos em Évora constituem uma oportunidade que pode e deve ser aproveitada pelos outros Concelhos, sobretudo os que lhe estão mais próximos. Todos sabemos como por exemplo a Auto-Europa de Palmela permitiu a instalação duma rede de empresas trabalhando em articulação com a construtora automóvel, localizadas em toda a Península de Setúbal e chegando mesmo a Vendas Novas e Évora onde se situam importantes indústrias de fornecimento de componentes para a indústria automóvel.

 

Por isso estas notícias são também um desafio para os autarcas dos vários Concelhos que poderão integrar a rede produtiva que está a nascer. Alguns autarcas centram-se sobretudo na elaboração de grandes planos que chutam para cima à espera da sorte. São os mesmos que depois nas suas candidaturas justificam os seus fracassos com a falta de resposta do poder central.

 

O poder central tem sido muito mau para o Alentejo nestes últimos dois anos mas a diferença é que alguns autarcas continuaram a lutar e a conseguir e outros desistiram e só tem queixumes para partilhar. Os eleitores saberão distinguir.

 

 

 
Comentários
Ver artigos anteriores...