Gente que faz (Um agradecimento)

Cumpridos três anos de mandato como Deputado no Parlamento Europeu, vou estando cada vez mais embrenhado nos processos concretos de decisão, muitos deles com impacto direto na vida dos cidadãos que represento.

Embora as áreas em que sou mais especializado (o Digital e a Energia) tenham implícita uma forte componente técnica, procuro sempre abordá-las dando prioridade à sua dimensão política, ou seja, aos ganhos que as pessoas podem ter com cada nova decisão tomada no plano das regras ou dos programas aprovados.

Para consolidar esta visão e garantir a inclusão dos valores em que acredito em matérias como a governação da energia na União Europeia, o mercado das telecomunicações, o governo eletrónico, a investigação científica na área do mediterrâneo, a interoperabilidade, a portabilidade, a conectividade digital ou o acesso gratuito dos cidadãos à internet de elevada qualidade, para só citar as matérias em que tenho tido mais responsabilidades diretas nos últimos tempos, é fundamental conhecer o terreno e validar soluções com quem nele atua quotidianamente.

No meu trabalho parlamentar tenho tido a grata satisfação de, para cada caso em concreto, ter podido sempre ter como uma das referências um exemplo ou um caso de sucesso verificado em Portugal. Casos em que estive mais ou menos envolvido, casos que conhecia e casos que desconhecia em absoluto antes de fazer a pesquisa de referências para apoiar o meu trabalho.

Na minha experiência no Parlamento Europeu, o facto de poder ilustrar as minhas ideias e perspectivas com exemplos do meu País, além de ser um enorme orgulho, tem contribuído também para aumentar a credibilidade e a taxa de aprovação das propostas que tenho feito.

Desde o início que tenho procurado reportar, quer nos espaços de opinião como este, quer na “newsletter” que partilho regularmente (a Znews), quer nas redes sociais, informação sobre o que vou fazendo e as razões pelas quais o faço.

Uma coisa é certa. Tudo o que faço só é possível ser feito como é, porque normalmente falo no Parlamento Europeu a partir de exemplos daquilo que já foi ou está a ser concretizado em Portugal, pelos meus concidadãos nas suas empresas, instituições oucomunidades.

Nem sempre é fácil lutar por Portugal e pela Europa, mas muitas portuguesas e muitos portugueses fazem quotidianamente acontecer coisas extraordinárias que impulsionam o País e nos ajudam a conseguir levar a “carta a Garcia” nestes tempos de desafio e incerteza.

A todos eles, assinalando três anos de mandato como seu representante no Parlamento Europeu, o meu profundo e reconhecido obrigado.
Comentários
Ver artigos anteriores...