É Obra (nas escolas)

O Governo tem em curso uma operação de Modernização do Parque Escolar que implica a intervenção em 332 escolas e um investimento global de 2,5 mil milhões de euros até 2015. Até ao momento estão já em curso obras em mais de 100 escolas, contribuindo para a criação de mais de 6500 postos de trabalho e envolvendo 1149 empresas.

Só na Cidade de Évora estão a ser investidos 12 Milhões de Euros na requalificação quase concluída da Escola Gabriel Pereira e iniciou-se um investimento de cerca de 10 milhões de Euros na requalificação da Escola Severim de Faria. Tive oportunidade de acompanhar a visita de José Sócrates a estes dois empreendimentos e de ficar impressionado com a realidade já visível na Escola Gabriel Pereira e com a ambição e qualidade do projecto em arranque na Severim de Faria. Seria muito interessante que os Pais, neste início de ano lectivo, pudessem visitar as obras concluídas ou ser informados em pormenor sobre os projectos em curso para saberem que este é um investimento que ajudará os seus filhos a terem mais sucesso escolar, proporcionando em simultâneo aos professores condições mais dignas de trabalho.

Foi também assinado um protocolo entre o Governo e a Autarquia de Évora para requalificar a Escola Básica André de Resende com um valor de investimento de 4,5 milhões de Euros. Em todo o Distrito outras obras de requalificação estão a ocorrer ou a ser lançadas, nuns casos em parcerias com as Autarquias (Escolas Básicas) e noutras através da Empresa Pública dos Parque Escolar como é o exemplo das Escolas Secundárias de Estremoz, Vila Viçosa, Reguengos, Montemor, Redondo e Arraiolos Esta breve amostra permite concluir que aquilo que está a ser feito na requalificação do Parque Escolar é obra!

Investir na requalificação das escolas é uma opção estratégica de forte alcance e que dá solidez à reforma da escola pública que está em curso. As novas escolas terão melhores condições de aprendizagem para os alunos e melhores condições de trabalho para os professores e os restantes profissionais. Permitirão também uma melhor interacção entre a escola e a comunidade, em particular as famílias e as empresas.

A Reforma do Sistema Educativo não tem sido um processo fácil. Mudar é sempre doloroso e complexo e nem sempre é possível assegurar plena justiça de procedimentos. Aqui e ali houve também alguma precipitação e fúria regulamentadora que crispou a comunidade escolar. Mas a mudança está em curso e com resultados visíveis.

Nos últimos quatro anos o insucesso e o abandono escolar caíram para metade. As escolas vão ficando mais equipadas e preparadas para os desafios do ensino no século XXI. Tudo isto gera também emprego e oportunidades na comunidade, num momento de crise, em que o bom investimento público tem um papel determinante para suavizar as agruras do presente e preparar as vitórias do futuro.

A escola e a comunidade escolar são a chave do futuro para o nosso Distrito, para o Alentejo e para o País. Há muito ainda para fazer e para melhorar, aprendendo com os sucessos e os erros desta legislatura, mas podemos ter a certeza que está a ser feita obra de vulto, que precisa de continuar até que os nossos resultados de aprendizagem atinjam um nível que nos permitam competir com os mais desenvolvidos Países do Globo.
Comentários
Ver artigos anteriores...