Inovação Portugal (Publicado na revista Frontline)

O barómetro europeu de inovação publicado em 1 de Fevereiro de 2011 (Inovation Union Scoreboard – IUS 2010) confirma o firme progresso de Portugal nos indicadores de conhecimento, tecnologia e inovação. Vindos do fundo da tabela em 2005, somos hoje líderes de crescimento entre os inovadores moderados e conseguimos o melhor resultado dos países do sul da Europa. Somos também o País que mais progresso relativo conseguiu nos últimos cinco anos, crescendo em média 8,35% acima da média europeia.

Este resultado não é um ponto de chegada, mas um ponto de partida. O grande desafio é transformar estes recursos e competências em valor, exportações, substituição de importações e emprego. Só desta forma a convergência na inovação se poderá converter em convergência no crescimento sustentável.

Com esse objectivo, uma parceria activa entre a Agência de Inovação e a COTEC tem vindo a dinamizar a iniciativa Inovação Portugal, traduzindo a medida emblemática “Inovation Union” da Estratégia Europa 2020, focada na identificação e concretização de agendas inovadoras da sociedade civil e na adequação das medidas de política pública aos novos desafios de modernização.

A iniciativa Inovação Portugal tem quatro focos de intervenção. Tornar mais fácil o financiamento das empresas ou dos empreendedores que pretendem colocar soluções inovadoras no mercado, agilizar a transferência de tecnologia entre as universidades e as empresas com orientação para a comercialização de novos produtos e novos serviços, desenvolver as capacidades empreendedoras dos portugueses ao longo do seu percurso formativo e impulsionar a internacionalização das empresas e dos produtos inovadores.

Do debate alargado e muito participado, ainda em curso no momento em que escrevo este texto, surgirão iniciativas transversais na sociedade portuguesa e medidas cirúrgicas de política pública.

Estas dinâmicas de compromisso alargado entre a sociedade e a governação, darão um novo impulso à capacidade competitiva da nossa economia, valorizando os recursos endógenos e o capital humano de que dispomos. Os dados disponíveis mostram que as empresas ricas me conhecimento, tecnologia e capacidade inovadora triplicam o valor acrescentado naquilo que exportam ou que evitam importar. É este o caminho para aumentar o nosso crescimento potencial, criar emprego e convergir com os índices de desenvolvimento médios da União Europeia.

Inovação Portugal é a chave para um Portugal à altura da sua história, da sua ambição e das expectativas de quem nele vive e se quer realizar.
Comentários
Ver artigos anteriores...