Obrigado Mister (Portugal Campeão)



Portugal realizou um campeonato europeu de futebol que a todos nos encheu de orgulho. Com realismo e qualidade foi ultrapassando obstáculos e chegou ao palco grandioso da final e tornou-se campeão europeu de futebol.

Uma caminhada destas, num contexto em que o futebol é hoje um espetáculo e um negócio global, exige uma grande congregação de esforços. Ninguém sozinho, nem mesmo um jogador da estirpe e da classe de Cristiano Ronaldo, pode atingir tal feito.

 É por isso sempre um exercício arriscado e com um grau de injustiça, não atribuir a um coletivo alargado o mérito pelo resultado atingido. Um resultado que emergiu da inspiração dos jogadores e dirigentes mas também da comunhão de apoios que despontaram um pouco por todo um planeta, em cada recanto onde vivia ou estava um português ou um amigo de Portugal.

Com as ressalvas feitas anteriormente, sinto um impulso para partilhar neste texto um agradecimento especial a Fernando Santos. Quando antes do campeonato referiu que só regressaria a casa a 11 de Julho poucos o levaram a sério. Se o sortilégio do jogo o tivesse feito regressar mais alvo de um coro de críticas. Como cumpriu o que prometeu, merece por inteiro um obrigado forte e sincero.

Como já escrevi algumas vezes neste espaço, o Futebol (e no desporto em geral) tem que ser vivido com razão e com emoção. Viver emocionalmente o jogo faz de cada um de nós treinadores de bancada. Não prescindi neste campeonato de o ser e algumas vezes discordei das escolhas iniciais ou das substituições do Mister. Os resultados no entanto não enganam. Fernando Santos tirou o melhor da equipa que tinha.

Para a posteridade fica uma ideia que me tem feito pensar muito. Para Fernando Santos o Futebol Profissional já não é um jogo da bola, artístico, rendilhado, coreografado. É antes um jogo de estratégia em que ganha o mais astuto e não quem melhor parece jogar.

Esta constatação do Mister, demonstrada no campo, apela a uma nova atitude do adepto. Temos hoje que ver o jogo não como um bailado mas como um jogo de xadrez. Conter as emoções e explodir com o xeque-mate.

Como é público e notório sou um adepto emocional e quase incondicional do Sporting. O meu Sporting foi a equipa que melhor jogou à bola no campeonato passado. No entanto para história ficou a vitória do Benfica. A atitude foi mais forte que a classe.

Obrigado Mister. O Futebol é um jogo lindo. Quando se junta capacidade jogar à bola e estratégia vencedora atinge-se o auge. Portugal venceu. A vitória perdurará por muitas décadas na nossa memória.            






Comentários
Ver artigos anteriores...