Nova Energia

Nos dias 30 e 31 de Março realiza-se em Cancun, no México, o 12º Fórum Internacional de Energia, que reúne mais de uma centena de responsáveis governamentais por esta área em todo o mundo, as principais agências de energia e as grandes companhias mundiais do sector.

O Fórum tem como meta aprovar uma Declaração Ministerial (Declaração de Cancun) que inclua recomendações fortes para reforçar o diálogo internacional no domínio da energia, reduzir a volatilidade e a incerteza dos seus mercados e conciliar a sustentabilidade com a garantia de abastecimento.

Reconhecido internacionalmente como um País de boas práticas, Portugal foi um dos Países convidados a partilhar a sua experiência num dos 4 painéis temáticos, mais concretamente naquele em que se aprecia o contributo das estratégias da energia para melhorar o desenvolvimento humano e promover a inclusão social.

Este convite é um forte reconhecimento do carácter inovador e integrador da Estratégia Nacional de Energia (ENE2020), cuja marca internacional (RE.NEW.ABBLE) expressa actualidade, inovação e disponibilidade para dar respostas concretas aos desafios colocados pela mudança do paradigma económico e energético.

Com a Declaração de Cancun pretende-se dar um novo impulso aos mercados da energia através da promoção do diálogo internacional entre países e empresas, aumentar a transparência dos mercados e criar melhores condições de sustentabilidade tendo em conta por um lado os objectivos do combate às alterações climáticas e por outro lado os objectivos de reduzir as desigualdades e a pobreza no mundo.

A Estratégia Nacional de Energia (ENE2020 / RE.NEW.ABBLE) e o Plano Novas Energias a que deu origem combinam de forma expressiva o espírito de Cancun, ao fomentar a independência energética como condição de partida para o desenvolvimento da interdependência, ao diversificar a oferta entre energias de origem fóssil e energias renováveis reduzindo a volatilidade a incerteza, diminuindo emissões e impactos nocivos no ambiente e sobretudo criando oportunidades de criação de riqueza disseminadas por todo o território, promovendo o desenvolvimento regional e local.

Estas práticas permitem consolidar modelos que podem ser e já estão a ser facilmente replicados em Países com menores índices de sofisticação nas suas estruturas de distribuição de energia, mas que ambicionam promover a inclusão social, de que o acesso á energia é um dos pilares fundamentais.

Com a prática e os resultados obtidos nos últimos cinco anos e com o novo impulso dado pela nova estratégia nacional de energia, Portugal é hoje uma referência mundial no domínio das novas abordagens dos modelos de produção e consumo de energia. Uma referência que criará emprego e riqueza no nosso território, mas que é já também uma imagem de marca do nosso País no mundo, como o relevo dado à sua participação no 12º Fórum Internacional de Energia vem comprovar mais uma vez.
Comentários
Ver artigos anteriores...