Tempo da Laranja (Boas vindas às novas elites dirigentes regionais)

Por decisão democrática dos eleitores chegou ao nosso Distrito o tempo da laranja. Após alguns meses para enraizar o novo poder, as principais instituições desconcentradas têm agora gestores nomeados pela coligação no poder, escolhidos de entre os seus dirigentes regionais ou arrematados nas fronteiras dos que se encobrem como técnicos para poder desempenhar funções que são e devem ser essencialmente políticas.

A mudança ocorrida é legítima. Saúdo os novos responsáveis e desejo-lhes os maiores sucessos pessoais e profissionais. Desejo também que possam fazer valer os interesses da nossa terra no permanente confronto com o centralismo político a que estarão sujeitos.

A coligação PSD/CDS venceu com maioria absoluta as eleições legislativas. No Alentejo no entanto a maioria dos votos expressos recaíram no PS, mesmo no quadro de grande desgaste nacional do Partido após uma governação difícil e exigente. Isto significa que os alentejanos souberam reconhecer quem sempre lutou por eles e pelas suas causas, mesmo sabendo o exíguo peso político da região no cômputo nacional. No mínimo esperam o mesmo de quem agora têm a missão de substituir a rosa pela laranja e pelos seus aliados.

Não me compete dar conselhos a quem agora assume o poder desconcentrado na região. Compete-me apenas desejar que sejam fortes e capazes de mostrar que o Alentejo vale muito mais que o seu peso demográfico, económico e eleitoral. É uma terra de futuro e de diferença e que tem que ser respeitada como tal.

Felicidades. Que a Laranja seja doce ou amarga, ácida ou sumarenta, graúda ou enfezada. Que seja o que tiver que ser e como o povo quis que fosse, mas que seja uma Laranja alentejana!
Comentários
Ver artigos anteriores...